MyBodyMan

6 Sintomas Graves Causados por Dormir Pouco

São bem conhecidos os efeitos da falta de sono, tais como sentir-se mal-humorado e não trabalhar no seu melhor. Mas sabia que a privação do sono também pode ter consequências profundas na sua saúde física e psicológica?

Se alguma vez passou uma noite em que dormiu mal por causa do estresse ou qualquer outro problema, já sabe como se sente no dia a seguir – cansado, rabugento, e ainda mais estressado. Mas perder as horas recomendadas de sono regularmente faz mais do que sentir-se grogue e mal-humorado. Os efeitos a longo prazo da privação do sono são reais e graves.

Sintomas Causados por Dormir PoucoEsgota as suas capacidades mentais, o seu humor e coloca a sua saúde física em risco real. A ciência tem ligado o sono deficiente a uma série de problemas graves, que vão desde o aumento de peso a um sistema imunitário enfraquecido, que não o consegue proteger corretamente.

Mais de um terço das pessoas nos países desenvolvidos sofre de sono deficiente, com o estresse, os jogos de computadores e o trabalho que se leva para casa sendo frequentemente os culpados.

Mas os distúrbios não causam apenas problemas físicos mas também graves problemas psicológicos, que se podem agravar com o tempo e tornarem-se crónicos.

Desde a um estado de ansiedade que interfere com quase tudo o que faz na sua vida e agrava os próprios distúrbios de sono até à depressão. Isto pode provocar o efeito bola de neve, em que o dormir pouco leva à ansiedade, e esta leva a que cada vez tenha mais dificuldades em adormecer.

É agora claro que uma noite de sono tranquilo é essencial para uma vida longa e saudável.

Eis os principais problemas causados pela falta de sono:

1) – Dormir pouco pode causar problemas no sistema respiratório.

A relação entre o sono e o sistema respiratório é recíproca, pois uma afeta a outra e, se não forem tratadas têm tendência a piorar a situação. Uma perturbação da respiração muito comum durante anoite, chamada apneia obstrutiva do sono, pode interromper o sono e/ou diminuir a qualidade do sono.

Ao acordar frequentemente durante a noite devido a isto, pode causar privação do sono, o que o deixa mais vulnerável a infeções respiratórias como a constipação e a gripe comuns, que dificultam igualmente uma boa noite de sono. A privação do sono pode também agravar doenças respiratórias já existentes, tais como doenças pulmonares crónicas.

2) – Problemas no sistema imunitário causados pela falta de sono.

Problemas no sistema imunitário causados pela falta de sonoSe parece apanhar todas as constipações e gripes que andam por aí, a culpa pode ser dos problemas causados por dormir pouco. A falta prolongada de sono pode perturbar o seu sistema imunitário, de modo que é menos capaz de se defender de infeções.

Enquanto dorme, o seu sistema imunitário produz substâncias protetoras, que combatem infeções, como anticorpos e citocinas. Utiliza estas substâncias para combater invasores estranhos, tais como bactérias e vírus.

Certas citocinas também o ajudam a dormir melhor, dando ao seu sistema imunitário uma maior eficiência para defender o seu corpo contra este tipo doenças, quando o atacarem.

A privação do sono impede o seu sistema imunitário de desenvolver as suas forças. Se não dormir o suficiente, o seu corpo pode não ser capaz de se defender dos invasores, como também pode demorar mais tempo a recuperar quando está doente.

A privação de sono a longo prazo também aumenta o risco de doenças crónicas graves, tais como a diabetes e doenças cardíacas.

3) – Dormir mal também afeta o sistema cardiovascular.

A falta de sono afeta processos que mantêm o seu coração e vasos sanguíneos saudáveis, incluindo os que controlam o açúcar no sangue, a pressão arterial e os níveis de inflamação. Também desempenha um papel vital na capacidade do seu corpo se curar e reparar os vasos sanguíneos e o próprio coração.

As pessoas que têm problemas de sono e não dormem o suficiente são mais propensas a contrair doenças cardiovasculares. Existem estudos que relacionam a insónia com um risco acrescido de ataque cardíaco e AVC, mesmo em idades precoces.

4) – Dormir mal pode levar ao aumento de peso.

Dormir pouco pode ser o causador principal de não conseguir perder peso! Estudos demonstraram que as pessoas que dormem pouco tendem a ganhar mais peso e têm um risco maior de se tornarem obesas do que as que dormem as horas de sono corretas.

Juntamente com comer demasiado e a falta de exercício, a privação do sono é outro dos fatores de risco que podem contribuir para se tornar gordo ou obeso.

Dormir poucoAcredita-se que seja porque as pessoas que não conseguem dormir têm níveis reduzidos de leptina (o químico que o faz sentir-se cheio) e níveis aumentados de ghrelin (a hormona que estimula a fome).

O sono afeta os níveis de duas hormonas, leptina e ghrelin, que controlam os sentimentos de fome e de plenitude.

A leptina diz ao seu cérebro que já comeu o suficiente. Sem sono suficiente, o seu cérebro reduz a leptina e aumenta a ghrelin, que é um estimulante do apetite. O fluxo destas hormonas pode explicar o petisco noturno ou porque é que alguém pode comer em excesso ao final da noite, sabotando assim os seus esforços para perder peso saudavelmente.

A falta de sono também pode fazer com que se sinta demasiado cansado para se exercitar. Com o passar do tempo, a redução da atividade física vai acabar por contribuir para ganhar peso, porque não estamos a queimar as calorias que ingerimos corretamente.

A privação do sono também faz com que o seu corpo liberte menos insulina depois de comer. Como a insulina ajuda a reduzir o seu nível de açúcar no sangue. Se você fizer uma alimentação rica em hidratos de carbono vai ganhar peso com facilidade.

Dormir mal também reduz a tolerância do corpo à glicose e está associada à resistência à insulina, que por sua vez pode levar à diabetes mellitus.

5) – Dormir mal é o principal fator de estresse e ansiedade

Tendo em conta que uma única noite sem dormir pode deixar você irritável e mal-humorado no dia seguinte, não é surpreendente que os distúrbios de sono crônico possam levar a distúrbios de humor a longo prazo como estresse, ansiedade e depressão.

Quando as pessoas com ansiedade ou depressão são estudadas para calcular seus hábitos de sono, acontece que a maioria delas dorme menos de 6 horas por noite.

Estes estudos indicam uma forte relação entre os problemas de sono e este tipo de problemas psicológicos, tendo como agravante que uns estimulam os outros, o que faz com que o problema tanto pode começar por dormir mal, que leva ao aparecimento destes sintomas, que depois agravam ainda mais a dificuldade em adormecer, como pode começar ao contrário.

A ansiedade e o estresse causados pela vida familiar, profissional ou qualquer problema repentino, são os principais gatilhos para os distúrbios do sono e as noites mal dormidas.

6) – Dormir bem aumenta o desejo sexual

Todo mundo sabe que o estresse e a ansiedade são os principais problemas para uma vida sexual plena, pois afetam fortemente a qualidade das ereções. Homens e mulheres que não têm um sono de qualidade têm uma libido mais baixa e menos interesse em sexo, sugerem várias pesquisas.

Alguns estudos em homens que procuram aumentar as ereções sem sucesso apontaram como os principais causadores deste problema a ansiedade e o estresse, mesmo que não esteja relacionado com o assunto.

Por seu lado os problemas sexuais, que causam ansiedade nos homens, levam igualmente a problemas para dormir bem, o que afeta ainda mais o problema. É importante que uma das causas seja tratada com sucesso para se quebrar esse ciclo vicioso, de modo a que o homem possa voltar a ter uma vida sexual normal.

Como tratar os distúrbios de sono

Se você não conseguir dormir o suficiente, não vai conseguir ter uma vida normal. Irá andar constantemente ansioso e irritado – por isso precisa dormir mais.

Isso não se resolverá com uma única noite de sono bem dormido. Se você tiver tido meses sem dormir corretamente, você terá acumulado uma dívida de sono significativa, por isso espere que a recuperação demore várias semanas, ou mesmo meses.

Começando em um fim-de-semana, e de preferência tirando uma semana de férias, tente conseguir uma hora ou duas de sono extra por noite, de preferência utilizando um suplemento natural que não cause habituação, como o que recomendamos mais abaixo.

A maneira de fazer isso é ir para a cama quando você estiver cansado, tomando um comprimido ou dois, e permitir que seu corpo o acorde pela manhã, sem utilizar despertadores.

Espere dormir 10 horas ou mais por noite no início. Depois de um tempo, o tempo de sono diminuirá gradualmente para um nível normal.

Durante o dia, mesmo que se sinta sonolento, evite a cafeína e as bebidas energéticas para despertar. Elas podem aumentar sua energia e concentração temporariamente, mas podem perturbar ainda mais os seus padrões de sono quando chegar a noite e a longo prazo.

Autor:
 
Artigos Relacionados